ABUELA

Blanca Rosa postrada
partes orgullosa a la playa
con pies desnudos sobre la arena caliente
que heredas en terciopelo negro.
Te despides de la ropa hecha con tus manos,
te sacas el dolor y las agujas,
los tumores como botones,
te desnudas incluso de quien eres
para no reconocerte más, e igual amarte
(no te puedo despedir, pero te recibiré)
por si quieres volverte mi hija
que todavía no nace.

© Tomás Cohen
From: Un árbol de luz íntima
Chile: Ediciones Bastante, 2019
Audio production: Haus für Poesie, 2019

Avó

Blanca Rosa prostrada
vai orgulhosa em pé na praia
com pés descalços sobre a areia quente
que lega como veludo negro.
Se despede da roupa feita com suas próprias mãos,
tira a dor e as agulhas,
os tumores como botões,
se despe inclusive de quem era
para não se reconhecer mais e se amar do mesmo jeito
(não posso me despedir de ti, mas te receberei)
se quiser tornar-se minha filha
que ainda não nasceu.

Tradução por Evelyn Blaut Fernandez
Published in the online journal A BACANA (October, 2020).